Artigo - Compaixão, EQUILÍBRIO EMOCIONAL, MEDITAÇÃO,

Gratidão e admiração

“Se não podemos ser felizes apesar de nossas dificuldades, de que serve nossa prática espiritual?” Maha Ghosananda

0
Shares
jack1

A gratidão é um reconhecimento gracioso de tudo aquilo que nos sustenta, um arco para nossas bênçãos, grandes e pequenas. Os monges budistas começam todos os dias com cânticos de gratidão pelas dádivas de alimento e abrigo, pela amizade e pelos ensinamentos que beneficiam a todos. Do mesmo modo, os anciãos nativos americanos começam cada cerimônia com orações de agradecimento à Mãe Terra e ao Pai Céu, às quatro direções, aos irmãos e irmãs animais, vegetais e minerais que compartilham nossa terra e sustentam nossa vida.

Gratidão é a confiança na própria vida. Nela, sentimos como a mesma força que empurra a grama através de rachaduras na calçada revigora a nossa própria vida. No Tibete, os monges e monjas oferecem orações de gratidão até mesmo pelo sofrimento que receberam: “Conceda que eu tenha sofrimento suficiente para despertar em mim a mais profunda compaixão e sabedoria”.

A gratidão não inveja nem se compara. A gratidão não depende do que você tem. Depende do seu coração. Você pode até mesmo encontrar gratidão pela dimensão da sua tristeza, a mão que você tem suportado. Há um mistério envolvendo até as suas dificuldades e sofrimento. Às vezes, é através das coisas mais difíceis que seu coração aprende as lições mais importantes.

À medida que a gratidão cresce, ela gera alegria. Sentimos a coragem de nos alegrar com nossas próprias bênçãos e com a boa sorte dos outros. Na alegria, não temos medo do prazer. Não acreditamos erroneamente que é desleal ao sofrimento do mundo honrar a medida de felicidade que recebemos. A alegria satisfaz o coração. Podemos ser alegres pelas pessoas que amamos, pelos momentos de bondade, pela luz do sol, pelas árvores e pela própria respiração dentro de nossos pulmões. Como uma criança inocente, podemos nos alegrar na própria vida, em estarmos vivos.

Encontre cada novo momento com admiração e gratidão, e você experimentará que nunca é tarde para abrir sua mente e seu coração. Como Bob Dylan canta: “Ele não está ocupado nascendo, está ocupado morrendo.” Dê à luz um espírito agradecido e você descobrirá como viver plena e livremente.

 

Praticar: Meditação sobre Gratidão e Alegria

 

Artigo originalmente publicado em Jack Kornfield e traduzido por Daniele Vargas

Comentários no Facebook