Artigo - EQUILÍBRIO EMOCIONAL, MEDITAÇÃO,

Como relaxar em atenção plena

Muitas vezes a nossa atenção plena se torna focada demais, espremida demais. Atenção espremida, certo? Quando você foca demais em atenção plena, na verdade isso pode as vezes ser contraproducente.

1
Shares
mindfulness

Quando você pensa demais em não cometer erros, é quando você comete mais erros, certo? Você se lembra de escrever com caneta e papel nos velhos tempos? Ou na máquina de escrever? Agora podemos apenas clicar em Excluir em nosso teclado e é fácil, mas naquela época era muito difícil corrigir seu erro, digitado ou manuscrito.

Quanto mais pensamos: “Oh, eu preciso estar atento!” Quanto mais nos concentramos estreitamente e com mais força. E quando você espreme sua atenção e se esforça tanto, às vezes isso é contraproducente.

A atenção exige uma sensação de relaxamento. Precisa haver algum senso de equilíbrio em nossa prática de atenção plena.

Algumas tradições de meditação, como a tradição tibetana, até dizem que a única coisa que você realmente precisa é de relaxamento. Elas dizem que se você pode relaxar, isso já é suficiente. Mas você pode se imaginar totalmente relaxado? Relaxar 100% quase não é possível, certo?

Nós pensamos que não podemos estar conscientes

Quando alguém lhe diz para estar atento, você sente: “Não, eu não posso estar atento! Preciso relaxar agora.” Por outro lado, quando alguém diz para você relaxar, você pensa: “Não, eu não consigo relaxar, tenho que focar!” Nossa mente precisa sempre se concentrar em algo.

Então você vê, a mudança, o equilíbrio entre o foco e o relaxamento já está lá na maquiagem da sua mente. Não é nada novo que você precisa encontrar de fora. Já está lá.

Quando alguém diz para você focar de uma só vez, sentimos “não posso fazer isso” e nossa mente se abre para algum tipo de estado espaçoso. Mas quando alguém nos diz para relaxar completamente e não se concentrar, também não podemos fazer isso. Nossa mente vai imediatamente para algum objeto – uma flor, uma pessoa ou um pensamento.

Então essas duas qualidades de foco e relaxamento já estão lá como partes naturais da maquiagem da sua mente. Nós só precisamos encontrar um equilíbrio entre os dois, entre atenção plena e relaxamento. Focado, mas relaxado. Relaxado, mas não distraído.

Então, encontrar esse equilíbrio é a chave. E essa é a parte mais difícil aqui. Apenas fazer um ou outro é fácil. Mas ter um equilíbrio entre os dois não é tão fácil. Isso requer prática.

Fazendo uma pausa consciente antes de expressar suas emoções

Um dos maiores problemas que vemos na cultura americana é que sempre tentamos expressar tudo. E a expressão é boa, não é ruim. Mas talvez essa expressão possa ocorrer apenas um pouco mais tarde.

Portanto, essa maneira de relaxar com a atenção plena pode ser muito útil para nós. Podemos respirar e nos contentar com quaisquer emoções que estejam bem ali em nosso coração e mente. E podemos relaxar um pouco com isso.

Aprender a tirar alguns momentos antes de expressar suas emoções pode lhe poupar muitos problemas. E dinheiro. Se tomarmos um minuto para olhar para nossa própria experiência de emoções, antes de tentarmos compartilhar nossa experiência com outra pessoa – seja uma experiência positiva ou negativa -, então nos damos um pouco de espaço. Nesse espaço, podemos aprender muito.

Com o passar do tempo, à medida que continuamos essa prática de fazer uma pausa suave para observar e sentir nossa experiência, começamos a compreender cada vez mais como funciona nossa mente e como nossas emoções funcionam. À medida que olhamos para a nossa experiência, começamos a encontrar o equilíbrio entre a atenção concentrada e o relaxamento espaçoso. Então, pouco a pouco, também podemos olhar para quem está olhando.

Uma Prática Curta: Relaxando em Atenção Plena, com Emoções

Aqui está uma prática simples que você pode experimentar em casa. Escolha um horário e local em que você tenha um nível razoável de tranquilidade e solidão e distrações mínimas. Sugere-se que desligue o telefone, coloque-o de lado, ou pelo menos desative as notificações enquanto faz esta breve prática:

1) Quando você faz meditação, você geralmente está trabalhando com a respiração. Inspirando, expirando. Você está tentando relaxar sua mente através da respiração e através do foco unidirecionado e do relaxamento.

2) De vez em quando, olhe para o observador… interiormente. Nem sempre olhando para a respiração ou para qualquer técnica meditativa que você esteja usando de qualquer tipo de tradição de sabedoria. Ao invés disso, você pode olhar para a própria mente observadora, o observador.

3) Ao fazer esta prática, se as emoções surgirem, faça uma pausa suave. Em vez de olhar para o objeto de suas emoções ou para o que quer que você esteja pensando sobre elas, observe a experiência da energia da própria emoção. Olhe o que você está sentindo, dentro do seu coração. Veja essa energia, conecte-se com a energia e faça uma pausa. Bem ali.

4) Esta prática de se dar espaço para sentir a energia de quaisquer emoções que surjam, pode ser muito útil para você encontrar esse equilíbrio fundamental entre atenção plena e relaxamento.

Este é um trecho dos ensinamentos de Dzogchen Ponlop Rinpoche originalmente dado durante uma apresentação na sede do Google em São Francisco, Califórnia, em 2016.
Foi originalmente publicado na página pessoal do Dzogchen Ponlop Rinpoche e traduzido por Daniele Vargas

Comentários no Facebook
Escrito por
Dzogchen Ponlop Rinpoche

Dzogchen Ponlop Rinpoche é um dos maiores tulkus dentro da linhagem Nyingma e um realizado detentor da linhagem Karma Kagyu. Autor dos livros Buda Rebelde e Resgate Emocional.

Tags
Ocultar Comentários