Video - EQUILÍBRIO EMOCIONAL, MEDITAÇÃO, SABEDORIA,

Cultivando sua mente e seu coração

Nossa mente pensante é muito útil, essencial. Não há nada errado em ter pensamentos. O problema é apenas quando nos identificamos com esses pensamentos, quando pensamos “este sou eu, isso é meu”, explica a professora budista Jetsunma Tenzin Palmo.

0
Shares

A fala do vídeo acima, da Jetsunma Tenzin Palmo, é natural e bela, toca em questões fundamentais da nossa mente. A maneira como ela se expressa é calma e lúcida, mas desafiadora.

Não espere mais uma palestra comum, que assistimos de forma distante, ou um TED daqueles que ficamos super-empolgados em mudar o mundo ao final de 18 minutos. O que Jetsunma faz é muito mais que isso. Este vídeo é muito importante, mas não merece ser assistido de forma passiva. Ele merece ser assistido de forma investigativa.

Que possamos, como a Jetsunma nos diz, descobrir o que está por trás do vai e vem da nossa mente pensante. E nós podemos descobrir se o que ela diz, é verdade ou não, de forma empírica, em primeira pessoa. Confira um trecho transcrito da palestra abaixo:

“Nossa mente pensante é muito útil, essencial. Não há nada errado em ter pensamentos. O problema é apenas quando nos identificamos com esses pensamentos, quando pensamos “este sou eu, isso é meu”. E nós nos identificamos com nossos pensamentos. Nós nos identificamos com nosso senso de gênero, raça, nacionalidade, profissão, nossas memórias, de nossa infância, e as lições e assim por diante, o que fizemos ontem, o que fizemos esta manhã, nossas opiniões, juízos, crenças… “Isso é o que faz eu ser quem eu sou! ” Portanto, na perspectiva do Dharma, este é o nosso desconhecimento essencial, esta é a nossa ignorância essencial. Em sânscrito é “avidya”, o que significa exatamente isso, “não saber”. Nós não sabemos quem realmente somos.

É, quero dizer, sem solidificar isso, é como um ator que está interpretando um papel e, enquanto eles estão interpretando o papel, ele se identifica absolutamente com o seu papel. Se ele é um bom ator, ele se torna o personagem que ele está interpretando, mas, se quando ele vai para fora do palco ele ainda pensa que é Hamlet … ele tem um problema!”

“Nosso sofrimento e nossa felicidade dependem da mente e frequentemente culpamos as circunstâncias externas, outras pessoas, a situação econômica, o governo, o mundo, o samsara por nossos problemas. Mas, se realmente examinarmos, o problema real é interno e é claro que isso é realmente uma boa notícia porque, enquanto nós podemos mudar a nós mesmos, é muito difícil mudar o resto do mundo. (…)

— Jetsunma Tenzin Palmo

Para assistir o vídeo, ative a legenda no canto inferior direito do vídeo.

Escrito por
Jetsunma Tenzin Palmo

Jetsunma Tenzin Palmo é uma grande professora da linhagem budista Drukpa; passou 12 anos em retiro numa caverna no Himalaia e atualmente é responsável por um mosteiro feminino na Índia e também leciona e conduz retiros por todo o mundo.

Ocultar Comentários