Artigo - EQUILÍBRIO EMOCIONAL, MOTIVAÇÃO, QUOTIDIANO, RESPIRAÇÃO,

O que fazer quando a ansiedade te esmaga

A dominação da ansiedade se edifica e se edifica – como um pensamento gera mais dois pensamentos e mais quatro nascem daqueles. A mente prolifera, tomando cada sentimento como fato e conjecturando um cenário assustador sobre isso e depois outro. Se isto, então aquilo, e então isto, e isto, e isto, e então todos nós morremos num fogo violento.

1
Shares
ansiedade

Enquanto viajo pelo mundo ensinando, meu público frequentemente pede ajuda para parar esses padrões de pensamento que rapidamente aumentam – e isolam. Nesta segunda coluna sobre ansiedade, vou oferecer algumas ferramentas para você lidar com isso.

Na minha coluna anterior sobre esse assunto, abordei a diferença entre ansiedade e medo. O medo é uma resposta a uma ameaça imediata à sua segurança, como encontrar um urso na floresta. Seus sentidos ficam alertas e seus músculos ficam tensos, preparando-o para fugir. A ansiedade se manifesta no corpo de maneira semelhante, embora a ameaça que a gera surja apenas na mente.

Minha boa amiga Sylvia Boorstein pensou muito sobre como lidar com a ansiedade porque ela sofre profundamente com isso. Agora com 80 anos, ela desenvolveu várias ferramentas para mantê-la sob controle. Ela estava andando pela Costco recentemente e se viu em um corredor cercado por televisores enormes que exibiam notícias sobre política.

Instantaneamente o pulso dela começou a acelerar, e todos os seus medos pelo futuro ricochetearam dentro de sua mente, tanto que ela teve que parar. Sylvia respirou fundo e depois outra vez para sair da mente e voltar ao corpo – no aqui e agora.

Ela estava em um grande lugar público e estava a salvo. A partir daí, ela expandiu seus pensamentos para seu carro confiável no estacionamento, sua casa onde viveu confortavelmente por décadas. Enraizar-se no presente – e em seu contexto mais amplo – encolheu a ansiedade e com isso enfraqueceu-a, permitindo que ela seguisse sua missão.

A história de Sylvia ilustra dois elementos para lidar com a ansiedade. O primeiro é reconhecê-lo. A ameaça está no momento ou está na mente? Depois de nomear, é mais fácil lidar com isso. Você, como Sylvia, pode alcançar várias ferramentas.

Sua história também ilustra como a ansiedade nunca desaparece. Ansiedade pode causar ansiedade! Você pode ficar ansioso pensando que você não deveria estar tão ansioso, então você deveria estar louco. Sylvia brinca dizendo que ela é uma “catástrofe em recuperação”, mas como podemos ver nessa história, a recuperação está em curso. Mesmo depois de décadas de prática, ela ainda tem que parar para se lembrar que não precisa se alarmar naquele momento e que tem ferramentas que pode usar.

A ansiedade é alta energia confinada a um espaço restrito. Estamos sempre tentando equilibrar energia e concentração calma e pacífica.

Quando olho para minha própria ansiedade, vejo isso como algo único. Muitos ficam ansiosos por não saberem, mas tenho medo das coisas que acredito estarem certas. O avião vai cair. Meu carro vai quebrar. Quer a ansiedade venha da certeza de que estamos certos ou do desespero de que nada vai funcionar, queremos dar a essa alta energia um grande espaço para que ela não seja mais refletida pelas paredes da mente.

Preocupar-se com algo influencia o resultado e pode, de fato, consumir a energia mental necessária para responder a eventos de medo genuínos. Não podemos enfrentar o mundo habilmente em um estado constante de medo, mas também não queremos estar sonhando acordados ao longo da vida. Como Sylvia diz:

“Para ver com clareza, para tomar decisões sábias, precisamos de uma mente que tenha força suficiente, para que você não a queira fatigada com preocupações incessantes”.

Misty, uma jovem que eu tenho correspondido sobre ansiedade, descreveu como ela resolveu lidar com sua ansiedade quando percebeu como isso a estava desgastando. Ela se tornou uma estudante disso: ouvir podcasts e audiolivros enquanto pratica yoga e meditação. Misty também tentou mantras, outra ferramenta eficaz. Enquanto você canta suavemente murmurando, estas sílabas ressoam através do corpo e acalmam o espírito. Alguns pensam que o canto abafa a ansiedade, afogando-a com movimentos e frases rítmicas. Isso é parte disso, mas você também pode experimentar como essa prática libera sua ansiedade, colocando você em harmonia consigo mesmo e com o ambiente ao seu redor.

Você não vai começar a dançar e cantar se tiver um ataque de ansiedade no corredor da Costco, mas você pode fazer uma meditação de bondade, enviando bons votos para todos – incluindo você mesmo:

Que eu possa estar livre de sofrimento. Que eu possa ser forte e saudável. Que eu possa ser feliz. Que eu possa viver uma vida cheia de tranquilidade.

Em seguida, estenda esses mesmos desejos para as pessoas que você ama e para o mundo mais amplamente. Quando você diz esses desejos com sinceridade, cada elemento da prática é um alívio. As frases canalizam a energia em vez de permitir que ela se prolifere. Ao fazer isso, você está de volta no comando e pode sentir o corpo relaxando à medida que o espaço em torno de sua ansiedade se abre e se solta. Quando você libera o controle, você é livre para escolher como reagir ao invés de ser inibido por conjecturas assustadoras.

Ansiedade pode sobrecarregar você em casa também, e quando isso acontece, uma ferramenta é mudar o seu entorno. Pode haver preocupações em casa que provocam suas ansiedades, e sair pela porta – literalmente se afastando – pode lhe dar a distância apropriada para recuperar o controle.

Sylvia às vezes caminha até a escola primária perto de sua casa e observa as crianças brincando no quintal no recreio.

“Eu vejo todas essas pequenas pessoas no trepa-trepa e os adultos agindo com tanto carinho e gentileza. Lembro-me de que há pessoas boas, pessoas que não estão todas com dificuldades como eu, que estão operando com a suposição de que essas pessoas pequenas vão crescer e elas enxergam um mundo para elas. Isso me ajuda a ver esse mundo também ”.

A busca determinada de Misty para encontrar uma maneira de lidar com sua ansiedade teve bons resultados, ela relata:

“Tudo o que eu estava fazendo para ser feliz era externo. Agora eu tenho esse recurso interno de paz e felicidade que está sempre me reabastecendo e me nutrindo. Minha ansiedade é agora apenas um pequeno inseto que vem de vez em quando. Eu simplesmente estendo meu dedo para ele pousar e depois solto um pouco e ele voa para fora ileso.”

Uma imagem tão bonita, e algo que desejo a todos vocês que são consumidos pela ansiedade.

Comece inspirando-se para que você possa determinar se a ameaça que você sente é real ou uma conjectura das circunstâncias. Uma vez que você sabe que o que sente é ansiedade, pode usar a bondade, o canto ou uma mudança em seu entorno para criar espaço em torno de sua ansiedade para reduzir seu poder e retornar sua mente e corpo a um estado equilibrado no qual possa responder com mais habilidade nosso mundo às vezes assustador.

 

Artigo originalmente publicado em Onbeing e traduzido por Daniele Vargas

Comentários no Facebook
Escrito por
Sharon Salzberg

Sharon Salzberg é co-fundadora da Insight Meditation Society (IMS), em Barre, Massachusetts. Ela estuda a meditação desde 1971, orientando retiros em todo o mundo desde 1974.

Tags
Ocultar Comentários